Ressignificação de memórias de médicos-cultural Bahia - Sergipe – Portugal

plataforma digital

Autores

  • Zeny Duarte de Miranda UFBA
  • Salim Silva Souza IFS

Palavras-chave:

Médicos-Cultural, Memória digital, SiS Médicos e a Cultura, Médicos – Bahia – Sergipe, Médicos – Portugal.

Resumo

Tratar-se-á de estudos visando contribuir com a pesquisa “Os médicos e a cultura em Portugal e no Brasil: olhar(es) introspectivo e analítico sobre o ‘modo de ser e de estar’ médico-cultural”, como desafio à Ciência da Informação, iniciados na Universidade do Porto – Portugal, em 2006, por meio do projeto originário "Os médicos e a cultura: estudo crítico e guia geral dos arquivos de médicos escritores, artistas e pensadores de Portugal e Bahia - Brasil (1808 – 2012)”, estendendo-se aos dias atuais e, neste momento, contemplando também o estado de Sergipe, sob a égide do convênio de cooperação científica entre a Universidade Fe-deral da Bahia e a Universidade do Porto, Portugal e, mais proximamente, com a participação do Instituto Federal de Sergipe.  Paralelamente, a inovação dos estudos ora apresentados é um dos seus resultados, a Plataforma Digital SiS Médicos e a Cultura, sistema adaptado ao armazenamento de dados informacionais acerca da vida, obra, pensamento e acervos documentais pessoais de médicos do Brasil e de Portugal que produziram para além da Medicina, disponibilizado em nuvem, ao propósito da convivência mundial com a Cloud Computing (Computação em Nuvem). Pauta-se, portanto, pela fundamentação teórica concei-tual com base em produções de Raffestin (1993), Saracevic (1996), Luhmann (2007), Duarte e Silva (2016), entre outros estudiosos e pensadores das áreas comuns, primando-se pelo procedimento analíti-co/argumentativo sobre os desdobramentos da pesquisa que subsidiam a escavação (FOUCAULT, 2008) ora destinada ao público da Revista Asklepion - Informação em Saúde e ademais. A problematização des-taca o processo de criação de médicos-cultural, do Brasil e de Portugal, pouco discutido e divulgado, no que diz respeito escolhas de médicos entre produzir apenas ciência ou abandoná-la ou acumulá-la com legados cultural e humanístico. A Ciência da Informação, neste patamar, é chamada a rever o cenário con-temporâneo, permeado pelas tecnologias digitais, com inquietações, a exemplo: Os acervos pessoais, documentais e informacionais de médicos-cultural estão sendo preservados para as gerações futuras? A Medicina reconhece a Ciência da Informação como protagonista na gestão de documentos e compartilha-mento da informação? O conceito de médicos-cultural encontra-se, desde já, no contexto do pensamento pós-custodial?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zeny Duarte de Miranda, UFBA

Doutora em Letras pela UFBA, Pós-Doutora em Ciência da Informação em Plataformas Digitais pela Universidade do Porto (U.Porto), professora titular da UFBA. Líder do Grupo de Pesquisa G-ACERVOS - Memória, Patrimônio, Cultura, Informação e Plataformas Digitais. Memorialista. Escritora.

Salim Silva Souza, IFS

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Sergipe. Bacharel em Biblioteconomia e Documentação (ICI-UFBA). Bibliotecário e pesquisador do Instituto Federal de Sergipe (IFS). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre História das Bibliotecas de Ensino Superior do Estado de Sergipe (GEPHIBES). Escritor.

Referências

ANTUNES, João Lobo. Um modo de ser: ensaios. 11 ed. Lisboa: Círculo de Leitores, 2000

BRANCO, Daniel de Jesus Barcoso Cautela. A plataforma wiki no acesso à informação de arquivos pessoais e memórias de médicos. 2018. 107f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Instituto de Ciência da Informação. Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2018.

BRANCO, Daniel de Jesus Barcoso Cautela; SANTANA, Gustavo Alpoim de; DUARTE, Zeny. A plataforma wiki no acesso à informação de arquivos pessoais e memórias de médicos. Ponto de Acesso, Salvador, v. 13, n. 3, p. 197-210, dez. 2019

BRASIL. Ministério da Saúde. Centro Cultural do Ministério da Saúde. Esculápio, o deus da Medicina. 2020. Disponível em: http://www.ccms.saude.gov.br/noticias/esculapio-o-deus-da-medicina Acesso em: 22 maio 2021

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. 11. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

DUARTE, Zeny; SILVA, Armando Malheiro da. A “metainformação sobre metainformação” em sistemas de arquivos pessoais: os médicos e a cultura de Portugal e da Bahia. In: PESTANA, Olivia; RIBEIRO, Fernanda; SILVA, Armando Malheiro da (org.). A Medicina e Informação Olhares luso-brasileiros. Porto: Afrontamento, 2014. p. 405-414

DUARTE, Zeny; SILVA, Armando Malheiro da. Os médicos e a cultura em Portugal e na Bahia: olhar(es) introspectivos e analítico sobre o “modo de ser e estar médico-cultural”. Salvador: EDUFBA, 2016.

GUARANÁ, Armindo. Dicionário Biobliográfico Sergipano. Rio de Janeiro: Editora Pongetti, 1925.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 1990. Tradução: Bernardo Leitão. 476p.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Trad. Luiz Felipe Baeta Neves. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

LUHMANN, Niklas. La sociedad de la sociedad. Tradução de Javier Torres Nafarrate. Ciudad de México: Herder/Universidad Iberoamericana, 2007.

MANZIG, Paulo Cesar, WEINSCHÜTZ, Luiz Carlos. Museus e fósseis da Região Sul do Brasil. Marechal Cândido Rondon: Editora Germânica, 2012. 308p.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, n.10, p. 7- 28, dez. 1993.

OLIVEIRA, Eliane Braga de; RODRIGUES, Georgete Medleg. O conceito de memória na Ciência da Informação: análise das teses e dissertações dos programas de pós-graduação no Brasil. Liinc em Revista, v.7, n.1, p. 311-328, mar. 2011. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/3302 Acesso em: 02 out. 2020.

RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Ática. 1993.

SANTANA, Antônio Samarone de; DIAS, Lúcio Antônio Prado; GOMES, Petrônio Andra-de. Dicionário Biográfico de Médicos de Sergipe: séculos XIX e XX. Aracaju: Academia Sergipana de Medicina, 2009. Disponível em: http://academiasergipanamedicina.com.br/dicionariomedico/fichascatalograficas.php Acesso em: 13 out. 2020

SARACEVIC, Tefko. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p .41-62, jan./jun. 1996.

SILVA, Armando Malheiro da. Da cultura à memória, onde fica a informação? O Projeto SiS Médicos ou a simbiose do passado com o futuro. In. DUARTE, Zeny; PESTANA, Olí-via; ABREU, Carmem (Org.). Informação e saúde: percursos de interdisciplinaridade. Salvador: EDUFBA, 2016, p. 137-148.

SILVA, Armando Malheiro da et al. Arquivística: teoria e prática de uma ciência da in-formação. 3.ed. Porto: Edições Afrontamentos, 2009.

SILVA, Patrícia de Sousa Nunes. Médicos por formação, docentes em ação: o perfil profissional e a formação do campo médico em Sergipe (1966-1973). 2018. 251 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2018.

SOUZA, Renato Rocha; ALMEIDA, Maurício Barcellos; BARACHO, Renata Maria Abran-tes. Ciência da informação em transformação: Big Data, nuvens, redes sociais e Web Semântica. Ci. Inf., Brasília, DF, v. 42 n. 2, p.159-173, maio/ago., 2013. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/25096/2-s2.0-84940371316.pdf?sequence=1&isAllowed=y Acesso em: 13 10 jul. 2021.

Downloads

Publicado

2021-10-25

Como Citar

Miranda, Z. D. de ., & Souza, S. S. . (2021). Ressignificação de memórias de médicos-cultural Bahia - Sergipe – Portugal: plataforma digital. Asklepion: Informação Em Saúde, 1(2), 55–69. Recuperado de https://asklepionrevista.info/asklepion/article/view/20