Competência crítica em informação em saúde

reflexões teóricas sobre a condição de vulnerabilidade de refugiados

Autores

  • Mariana Rodrigues Gomes de Mello UNESP
  • Daniel Martínez-Ávila Universidad de León

Palavras-chave:

Informação em saúde, Competência em informação, Competência crítica em informação, Comportamento informacional, Vulnerabilidade, Refugiados

Resumo

Na Ciência da Informação, o termo information literacy, foi utilizado pela primeira vez em 1974, por um bibliotecário estadunidense, chamado Paul Zurkowski, em um relatório intitulado: The information service environment relationships and priorities. Há certos setores que regem nossas vidas, os quais precisamos ter o mínimo de competência em informação para podermos ter uma existência mais digna, sendo os cuidados com a saúde um destes aspectos que merece capacidade crítica de análise de todos os seres humanos. Portanto, educação e saúde são conceitos diretamente relacionados no que tange à prevenção de doenças. Posto isto, temos como objetivo relacionar competência em informação, competência crítica em informação e informação em saúde e aferir, para tanto, a título de exemplo, a importância dessa relação pra minimizar o risco de contágio de doenças graves, como a Sindrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) em grupos vulneráveis, como o dos refugiados. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa pautada na revisão da literatura acerca da temática, com aspectos exploratórios, no que tange na relação entre competência crítica em informação em saúde com a situação de vulnerabilidade de refugiados ante os riscos de contaminação com HIV e o desenvolvimento da AIDS. Concluimos que reflexão crítica, competência em informação e comportamento informacional formam um tripé indissociável, o qual é a chave para a reivindicação dos direitos humanos, incluindo o acesso à saúde.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Rodrigues Gomes de Mello, UNESP

Doutoranda em Ciência da Informação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual Paulista. Mestra pelo mesmo programa e instituição. Especialista em Direito Público, graduada em Direito e Filosofia.

Daniel Martínez-Ávila, Universidad de León

Professor Assistente Doutor da Universidad de León e Professor Permanete no Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual Paulista. Possui graduação em Biblioteconomía y Documentación pela Universidad Carlos III de Madrid (2005), Licenciado en Documentación pela Universidad Carlos III de Madrid (2007), Mestrado em Investigación en Documentación pela Universidad Carlos III de Madrid (2009), e Doutorado internacional pelo Programa Oficial de Doctorado en Documentación pela Universidad Carlos III de Madrid (2012).

Referências

ADORNO, T. W; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

AMORA SOARES. Minidicionário Soares Amora da língua portuguesa. São Paulo: Saraiva, 2009.

ANAIDS (2018). ANAIDS pede ajuda ao governo brasileiro para imigrantes venezuelanos sem acesso ao tratamento do HIV/AIDS. Disponível em https://gestos.org.br/2018/02/anaids-pede-ajuda-ao-governo-brasileiro-para-migrantes-venezuelanos-sem-acesso-ao-tratamento-do-hivaids/. Acesso em: 26 out. 2021.

BELLUZZO, R. C. B. A competência em informação no Brasil: cenários e espectros. São Paulo: ABECIN, 2018.

BELLUZZO, R. C. B.; SANTOS, C. A. D.; JUNIOR, O. F. A. A competência em

informação e sua avaliação sob a ótica da mediação da informação: reflexões e aproximações teóricas. Informação & Informação, v. 19, n. 2, p. 60-77, 2014.

BELLUZZO, R. C. B; FERES, G.G (2015). Competência em informação, redes de conhecimento e as metas educativas para 2021: reflexões e inter-relações. In: Belluzzo, R. C. B, Feres, G. G. e Valentim, M. L. P. (Orgs.). Redes de conhecimento e competência em informação: interfaces da gestão, mediação e uso da informação/organização (p. 1-35). Rio de Janeiro: Interciência.

BEZERRA, A. C (2019). Teoria Crítica da Informação. In. BEZERRA, A.C; SCHENEIDER, M.; PIMENTA, R. M.; SALDANHA, G. S (Orgs). iKRITICA: estudos críticos da informação (p.17-72). Rio de Janeiro: Garamond.

BOGADO, A. C.; CASARIN, H. C. S. Competência em informação do profissional da saúde. Revista Fontes Documentais, v. 3, p. 203-212, 2020. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/151114. Acesso em: 14 ago. 2021.

BRANCO, M L.; TORRONTEGUY, M. A. A. O SUS na fronteira e o Direito: em que medida o estrangeiro tem direito ao SUS. Cad. IberAmer. Direito, v.2, n.2, p. 932-945, 2013.

BRISOLA, A. C., DOYLE, A. Critical Information Literacy as a Path to Resist “Fake News”: Understanding Disinformation as the Root Problem. Open Information Science, v. 3, p. 274-286, 2019.

BRITO, J. F.; SILVA, R. C.; SANTOS, B. R. P.; MELLO, M. R. G.; MARTÍNEZ-ÁVILA, D. Arquitetura da informação no contexto da informação em saúde: um olhar para o website do covid-19 no brasil. AtoZ: Novas Práticas em Informação e Conhecimento, v. 9, n. 2, p. 183-195, 2020. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/atoz/article/view/75091. Acesso em: 20 nov. 2021.

CASE, D. O.; GIVEN, L. M. Looking for information: a survey of research on information seeking, needs, and behavior. 4. ed. Howard House, Emerald, 2016.

Chatman, E. A. The Impoverished Life-World of Outsiders. Journal of the American Society for Information Science, 47, p. 193-206, 1996.

CHOO, C. W. Information Management for the Intelligent Organization: the art of scanning the environment. 3rd ed. Medford: Information Today, 2002.

CUNHA, T.; GARRAFA, V. Vulnerability: a key principle for global bioethics? Cambridge Quarterly of Healthcare Ethics, v. 25, n. 2, p. 197-208, 2016.

DOHERTY, J. D; KETCHNER, K. Empowering the Intentional Learner: A Critical Theory for Information Literacy Instruction. Library Philosophy and Practice, vol. 8, n. 1, 2005. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/28106825_Empowering_the_Intentional_Learner_A_Critical_Theory_for_Information_Literacy_InstructionErro! A referência de hiperlink não é válida.. Acesso em: 26 out. 2021.

DOLZ, J.; OLLAGNIER, D. O enigma da competência em educação. Porto Alegre: Artmed, 2004

ELMBORG, J. Critical Information Literacy: Implications for instructional pratices. The Journal of Academic Librarianship, p. 192-199, 2006. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0099133305001898. Acesso em: 26 out. 2021.

DOYLE, A. Ideologia e competência crítica em informação: um olhar para movimentos de biblioteconomia crítica. Revista Folha de Rosto, v. 4, n. 1, p. 25-33, 2018. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/39843. Acesso em: 26 out. 2021.

FALKENBERG, M.B; MENDES, T.P.L; MORAES, E. M. S; SOUZA, E.M. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, n. 3, 2014. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csc/2014.v19n3/847-852. Acesso em: 20 nov. 2021.

FONG, H. F. Association between health literacy and parental self-efficacy among parents of newborn children. Journal of Pediatrics, v. 202, n. Nov., p. 265–271, 2018.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987

HLWIKI INTERNATIONAL: Systematic review searching, 2016. Disponível em: http://hlwiki.slais.ubc.ca/index.php/Systematic_review_searching. Acesso em: 09 set. 2021.

JACOBS, H. Information Literacy and Reflective Pedagogical Praxis. The Journal of Academic Librarianship, v. 34, n. 3, p. 256-262, 2008. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/222033109_Information_Literacy_and_Reflective_Pedagogical_Praxis. Acesso em: 01 maio 2021.

LUCCA, D. M.; VITORINO, E. V. Competência em informação e necessidades de informação de idosos: o papel do profissional da informação nesse contexto. Informação & Informação, v. 24, n. 1, p. 458-483, 2019.

MACHADO, I. J. R. Etnografias do refúgio no Brasil. São Carlos: EdUFSCar, 2020.

MELLO, M.R.G; MARTÍNEZ-ÁVILA, D. Colonialidade, classificação e poder. LIINC, v. 17 n. 2, p.1-19, 2021. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/5770/5386. Acesso em 20 nov. 2021.

MELLO, M. R. G.; MARTÍNEZ-ÁVILA, D.; ARAUJO, L. M.; VALENTIM, M. L. P. Entre técnica e reflexão: um estudo da função social das bibliotecas públicas a partir da teoria crítica. Informação & Informação, v. 25, n. 4, p. 377-401, 2020. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/38354. Acesso em: 20 nov. 2021.

MELLO, M. R. G.; CAMILLO, E. S.; SANTOS, J. C. G.; MARTÍNEZ-ÁVILA, D. Usuários da informação como fim em bibliotecas universitárias: uma análise a partir da teoria crítica em adorno e horkheimer. Em Questão, v. 27, n. 3, p. 141-171, 2021. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/107784. Acesso em: 20 nov. 2021.

MICHAELIS, H; MICHAELIS, C. Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. São Paulo: Melhoramentos, 2019.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Glossário Temático: Gestão do trabalho e da educação na saúde. Brasília: Editora MS, 2006. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/glossario_gestao_trabalho_2ed.pdf. Acesso em: 21 nov. 2021.

ONU. ACNUR. 2011. Manual de Procedimentos e Critérios para a Determinação da Condição de Refugiado. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2018/02/Manual_de_procedimentos_e_crit%C3%A9rios_para_a_determina%C3%A7%C3%A3o_da_condi%C3%A7%C3%A3o_de_refugiado.pdf. Acesso em: 20 nov. 2021.

PRESSER, N. H. Competência informacional como recurso emancipatório – estudo de caso com portadores de diabetes mellitus. Biblios (Peru), n. 48, p. 55-67, 2012.

SANTOS, J. C. S. D.; SOUZA, M. T. M. Informação em saúde pública e comportamento de portadores do vírus da imunodeficiência humana em redes sociais. Revista Fontes Documentais, v. 3, p. 339-350, 2020. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/151148. Acesso em: 14 nov. 2021.

SILVA, R. C.; BRITO, J. F.; SANTOS, B. R. P. D.; MELLO, M. R. G.; DAMIAN, I. P. M. Motoristas de aplicativos em tempos de covid-19: tendências de informação e prevenção no contexto brasileiro. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 26, p. 1-21, 2021.

SILVA, C. R. S.; NUNES, J. V.; TEIXEIRA, T. M. C. Do conceito de informação ao discurso sobre competência em informação. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 11, n. 2, p. 185-205, 2020. Acesso em: 26 abr. 2021.

SIMMONS, M. H. Librarians as disciplinary discourse mediators: using genre theory to move toward critical information literacy. Libraries & the Academy

Portal, p. 297–311, 2005. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/70409175.pdf. Acesso em: 03 nov. 2021

SPINK, A.; CASE, D. O. Looking for information. 3.ed. Bingley: Emerald, 2012.

SPUDEIT, D. F. A. O.; VITORINO, E. V. Apontamentos sobre o comportamento e competência em informação de pessoas em situação de rua. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, v. 13, p. 1019-1038, 2020. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/RICI/article/view/24454. Acesso em: 21 nov. 2021.

TARGINO, M. D. G. Informação em saúde: potencialidades e limitações. Informação & Informação, v. 14, n. 1, p. 52-81, 2009.

TEWELL, E. A decade of critical information literacy: A review of the literature. Communications in Information Literacy, p. 24–43, 2015.

VALENTIM, M. L. P. Gestão da informação e do conhecimento no âmbito da Ciência da Informação. São Paulo: Polis/Cultura Acadêmica, 2008.

ZURKOWSKI, P G. The Information Service Environment Relationships and Priorities. Related Paper n. 5. Washington. National Commission and Libraries and Information Science,1974.

WILSON, T. D. Human Information Behavior. Information Science Research, v. 3, n. 2, 2000.

WILSON, T. D. Models in information behaviour reserch. Journal of Documentantion, London, v. 55, n. 3, p. 249-270, 1999.

Downloads

Publicado

2022-06-28 — Atualizado em 2022-06-28

Versões

Como Citar

Mello, M. R. G. de, & Martínez-Ávila, D. (2022). Competência crítica em informação em saúde: reflexões teóricas sobre a condição de vulnerabilidade de refugiados. Asklepion: Informação Em Saúde, 2(1), 19–36. Recuperado de https://asklepionrevista.info/asklepion/article/view/36