Ensino superior no campo da saúde e o uso de tecnologia durante a pandemia de COVID-19 no Brasil

Autores

Palavras-chave:

Educação superior, Educação em saúde, Tecnologia da informação, Pandemia, Covid-19

Resumo

A pandemia de COVID-19 afetou instituições educacionais em todo o mundo. Este estudo apresenta mudanças ocorridas no uso das tecnologias de informação e comunicação (TIC) por docentes, graduandos e pós-graduandos brasileiros no campo da saúde durante a pandemia. Para tanto, realizou-se estudo convergente de métodos mistos (QUAN + QUAL) com coleta de dados transversal em 2020. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva (QUAN) e análise temática (QUAL). Participaram 1172 pessoas, sendo 533 alunos de graduação, 257 alunos de pós-graduação e 382 professores universitários. Durante a pandemia, o número médio de horas diárias de uso das TIC para atividades acadêmicas aumentou de 5,90 horas em 2019 para 7,18 horas em 2020 (+21,7%). Ambientes virtuais de aprendizagem foram as tecnologias mais utilizadas, mas as que apresentaram o maior aumento significativo no uso foram videoconferência e simulação virtual. Cinco temas principais emergiram da análise das percepções dos participantes: uso das TIC para atividades educacionais; comparação e preferência dos participantes quanto à modalidade de ensino; mudanças na educação; apoio institucional para uso das TIC na educação; e problemas de acesso à Internet. Algumas recomendações baseadas nesta pesquisa incluem treinamento de emergência para a comunidade acadêmica em ensino online; manutenção da educação online; inclusão de ferramentas tecnológicas mais interativas em ambientes virtuais de aprendizagem; ações para melhorar conexão à Internet e acesso aos equipamentos; e revisão da carga de atividades acadêmicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristiane Barbosa Galvão, Universidade de São Paulo

Professora Doutora da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Ivan Luiz Marques Ricarte, Universidade Estadual de Campinas

Professor Titular da Faculdade de Tecnologia da  Universidade Estadual de Campinas.

Janise Braga Barros Ferreira, Universidade de São Paulo

Professora Doutora da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Camilo Darsie, Universidade de Santa Cruz do Sul

Professor Doutor do Departamento de Ciências, Humanidades e Educação da Universidade de Santa Cruz do Sul.

Aldaísa Cassanho Forster, Universidade de São Paulo

Professora Associada da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. 

Marcelo Carneiro, Universidade de Santa Cruz do Sul

Professor Doutor do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Santa Cruz do Sul.

Samára dos Santos Sampaio, Universidade de São Paulo

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Letícia Silva Barbosa, Universidade de São Paulo

Graduanda em Informática Biomédica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Referências

BATES, A. W. Teaching in a digital age: Guidelines for designing teaching and learning. 2 ed. Vancouver: Tony Bates Associates, 2019. Disponível em pressbooks.bccampus.ca/teachinginadigitalagev2. Acesso em: 19 nov. 2020.

BRYSON, J. R.; ANDRES, L. COVID-19 and rapid adoption and improvisation of online teaching: curating resources for extensive versus intensive online learning experiences. Journal of Geography in Higher Education, Oxon, v. 44, n. 4, pp. 608-623, 2020. DOI: 10.1080/03098265.2020.1807478.

CHICK, R. C. et al. Using technology to maintain the education of residents during the COVID-19 pandemic. Journal of Surgical Education, New York, v. 77, n. 4, pp. 729-732, 2020. DOI: 10.1016/j.jsurg.2020.03.018.

CRESWELL, J. W.; PLANO CLARK, V. L. Designing and conducting mixed methods research. 3 ed. Thousand Oaks: Sage; 2017. ISBN: 9781483344379.

FITZGERALD, D. A.; NUNN, K.; ISAACS, D. Consequences of physical distancing emanating from the COVID-19 pandemic: an Australian perspective. Paediatric Respiratory Reviews, Oxon, v. 35, s. n., pp. 25-30, 2020. DOI: 10.1016/j.prrv.2020.06.005.

GONZALES, A. L.; CALARCO, J. M.; LYNCH, T. Technology problems and student achievement gaps: a validation and extension of the technology maintenance construct. Communication Research, Thousand Oaks, v. 47, n. 5, pp. 750-770, 2020. DOI: 10.1177/0093650218796366.

HARRIS, P. A. et al. The REDCap consortium: Building an international community of software partners. Journal of Biomedical Informatics, San Diego, v. 95, s. n., p. 103208, 2019. DOI: 10.1016/j.jbi.2019.103208.

JUMREORNVONG, O. et al. Telemedicine and medical education in the age of COVID-19. Academic Medicine; Philadelphia, v. 95, n. 12, pp. 1838-1843, 2020. DOI: 10.1097/ACM.0000000000003711.

KHAN, R. et al. Virtual reality simulation training for health professions trainees in gastrointestinal endoscopy. Cochrane Database of Systematic Reviews, Hoboken, s. v., n. 8, p. CD008237, 2018. DOI: 10.1002/14651858.CD008237.pub3.

LEE, J. et al. Effective virtual patient simulators for medical communication training: a systematic review. Medical Education, Hoboken, v. 54, n. 9, pp. 786-795, 2020. DOI: 10.1111/medu.14152.

MAHEU-CADOTTE, M. A. et al. Efficacy of Serious Games in Healthcare Professions Education: a systematic review and meta-analysis. Simulation in Healthcare, Philadelphia, v. Publish ahead of print, 27 out. 2020. DOI: 10.1097/SIH.0000000000000512.

PLUYE, P. et al. Review of the combinations of strategies used to integrate qualitative and quantitative phases, results and data. International Journal of Multiple Research Approaches, Bloomington, v. 10, n. 1, pp. 41-56, 2018. DOI: 10.29034/ijmra.v10n1a3.

RAMOS-MORCILLO, A. J. et al. Experiences of nursing students during the abrupt change from face-to-face to e-learning education during the first month of confinement due to COVID-19 in Spain. International Journal of Environmental Research and Public Health, Basel, v. 17, n. 15, pp. 1-15, 2020. DOI: 10.3390/ijerph17155519.

ROONEY, M. K. et al. Simulation as more than a treatment-planning tool: a systematic review of the literature on radiation oncology simulation-based medical education. International Journal of Radiation Oncology Biology Physics, New York, v. 102, n. 2, pp. 257-283, 2018. DOI: 10.1016/j.ijrobp.2018.05.064.

SON, C. et al. Effects of COVID-19 on college students’ mental health in the United States: Interview survey study. Journal of Medical Internet Research, Toronto; v. 22, n. 9, p. e21279, 2020. DOI: 10.2196/21279.

VAN DEURSEN, A. J. Digital inequality during a pandemic: Quantitative study of differences in COVID-19-related Internet uses and outcomes among the general population. Journal of Medical Internet Research, Toronto, v. 22, n. 8, p. e20073, 2020. DOI: 10.2196/20073.

WANG, X. et al. Investigating mental health of US college students during the COVID-19 pandemic: Cross-sectional survey study. Journal of Medical Internet Research, Toronto; v. 22, n. 9, p. e22817, 2020. DOI: 10.2196/22817.

XU, D.; JAGGARS, S. S. Performance gaps between online and face-to-face courses: Differences across types of students and academic subject areas. Journal of Higher Education, Oxon, v. 85, n. 5, pp. 633-659, 2014. DOI: 10.1353/jhe.2014.0028.

Publicado

2021-07-09

Como Citar

Galvão, M. C. B., Ricarte, I. L. M., Ferreira, J. B. B., Darsie, C. ., Forster, A. C., Carneiro, M., Sampaio, S. dos S., & Barbosa, L. S. (2021). Ensino superior no campo da saúde e o uso de tecnologia durante a pandemia de COVID-19 no Brasil. Asklepion: Informação Em Saúde, 1(1), 64–84. Recuperado de https://asklepionrevista.info/asklepion/article/view/10