Cidades inteligentes, desigualdades territoriais e saúde pública

reflexões necessárias

Autores

  • Bianca Borges da Silva Leandro Fiocruz

Palavras-chave:

Cidades inteligentes, Desigualdades territoriais, Informação em saúde, Saúde Pública

Resumo

Como construir processos de cidades inteligentes que superem as desigualdades socioespaciais, em especial as desigualdades que se refletem na saúde? Esta é uma das questões que inicia este artigo no formato de ensaio crítico-reflexivo que não tem a pretensão de trazer respostas absolutas e prontas para os assuntos que se entrecruzam no questionamento elencado. Apoia-se metodologicamente na revisão narrativa da literatura com base no referencial teórico da determinação social do processo saúde-doença e na compreensão da informação em saúde como um direito. Este texto traz alguns tópicos sobre a temática das cidades inteligentes no contexto brasileiro, acrescido da discussão da saúde como direito social, democraticamente conquistado no Brasil e as interfaces necessárias com temáticas relevantes para o campo da informação em saúde. São feitas reflexões e apontamentos necessários para que a incorporação da tecnologia digital nas cidades se dê no sentido de diminuir as desigualdades territoriais e não insivibilizá-las ou agudizá-las. Para a análise reflexiva foram trazidas situações exemplos que pudessem elucidar a discussão. É necessário avançar em processos e metodologias que identifiquem as desigualdades territoriais, em especial, as que incidem na saúde, pensar em formas de uso, incorporação e adaptação das tecnologias de informação e comunicação de acordo com as heterogeneidades e necessidades locais. Fortalecendo a informação em saúde como um direito humano e a construção de saúde digital e cidades digitais inclusivas e não como barreiras de acesso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Borges da Silva Leandro, Fiocruz

Sanitarista. Bacharela em Saúde Coletiva. Mestra em Saúde Pública. Tecnologista em Saúde Pública na Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio da Fundação Oswaldo Cruz.

Referências

ALVES, Flamarion Dutra. Conflitos e desigualdades territoriais na sociedade contemporânea. Confins [En ligne], 50 | 2021, mis en ligne le 27 juin 2021, consulté le 30 septembre 2021. URL : http://journals.openedition.org/confins/37920 ; DOI : https://doi.org/10.4000/confins.37920

ARAÚJO, Victor e FLORES, Paulo. Redistribuição de renda, pobreza e desigualdade territorial no Brasil. Revista de Sociologia e Política [online]. 2017, v. 25, n. 63 [Acessado 30 Setembro 2021] , pp. 159-182. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1678-987317256307>. ISSN 1678-9873. https://doi.org/10.1590/1678-987317256307.

BRANCO, Maria Alice Fernandes. Sistemas de informação em saúde no nível local. Cadernos de Saúde Pública [online]. 1996, v. 12, n. 2 [Acessado 30 Setembro 2021] , pp. 267-270. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-311X1996000200016. Epub 14 Ago 2001. ISSN 1678-4464. https://doi.org/10.1590/S0102-311X1996000200016.

BRASIL. Relatório final da 8ª Conferência Nacional de Saúde. 17 a 21 de março de 1986. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/images/relatorio_8.pdf

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS. Política Nacional de Informação e Informática em Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva, Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS. – Brasília : Ministério da Saúde, 2016. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_infor_informatica_saude_2016.pdf

BRASIL. Carta Brasileira de Cidades Inteligentes. Edição revisada. 2020a. Disponível em https://www.gov.br/mdr/pt-br/assuntos/desenvolvimento-regional/projeto-andus/Carta_Bras_Cidades_Inteligentes_Final.pdf Acesso em 28 set 2021

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Departamento de Informática do SUS. Estratégia de Saúde Digital para o Brasil 2020-2028 [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva, Departamento de Informática do SUS. – Brasília : Ministério da Saúde, 2020b.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria GM/MS nº 1.768, de 30 de julho de 2021. Altera o Anexo XLII da Portaria de Consolidação GM/MS nº 2, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre a Política Nacional de Informação e Informática em Saúde (PNIIS). Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-gm/ms-n-1.768-de-30-de-julho-de-2021-335472332 Acesso em 28 set 2021

CAMBRICOLI, Fabiana. Vazamento de senha do Ministério da Saúde expoõe dados de 16 milhões de pacientes com covid. O Estado de S. Paulo. Disponível em: https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,vazamento-de-senha-do-ministerio-da-saude-expoe-dados-de-16-milhoes-de-pacientes-de-covid,70003528583 Acesso em 29 set 2021

COSTA, Aldenilson; EGLER, Tamara; CASELLAS, Antònia. Política urbana de inovação tecnológica: experiências de cidades digitais no Brasil. Finisterra, Lisboa , n. 110, p. 93-113, Apr. 2019 . Available from <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0430-50272019000100006&lng=en&nrm=iso>. access on 09 Apr. 2021. http://dx.doi.org/10.18055/Finis15347.

FJP; CORECON-MG; Observatório das Desigualdades. Por que precisamos discutir sobre desigualdades. Apostila do Módulo 1 do Curso Precisamos falar sobre desigualdades. 2020.

GUIMARÃES, M. C. S. G. Determinantes sociais de saúde: o papel da informação e da literacia em saúde. In: DUARTE, Z.; PESTANA, O. e ABREU, C. (Org.). Informação e Saúde: percurso de interdisciplinaridade. Salvador: Edufba, 2016.

HOLLANDS, Robert G. (2008), Will the real smart city please stand up?, City, 12, (3), 303-320

LEANDRO, Bianca Borges da Silva; REZENDE, Flávio Astolpho Vieira Souto; PINTO, José Mauro da Conceição. Informações e registros em saúde e seus usos no SUS. – Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2020. Disponível em: http://books.scielo.org/id/xhr84

MARICONDA, Pablo Rubén; MOLINA, Fernando Tula. Entrevista com Andrew Feenberg. Scientiae studia, São Paulo, v.7, n.1, p. 165-71, 2009.

MENEGHETTI, Francis Kanashiro. O que é um ensaio-teórico?. Revista de Administração Contemporânea [online]. 2011, v. 15, n. 2 [Acessado 30 Setembro 2021] , pp. 320-332. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000200010>. Epub 21 Mar 2011. ISSN 1982-7849. https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000200010.

MORAES, I. H. S. Sistemas de informações em saúde: patrimonio da sociedade brasileira. In: PAIM, J. S. & ALMEIDA-FILHO, N. (Orgs). Saúde Coletiva: teoría e prática. 1ª ed. Rio de Janeiro: MedBook, 2014.

PERISSÉ, A. R. S.; LEANDRO, B.; GENARO, C.; WELLINGTON, J.; ANGELO, J. 3° Boletim socioepidemiológico da Covid-19 nas favelas: análise da distribuição e incidência da Síndrome Gripal em favelas cariocas. Sala de Situação COVID-19 nas favelas. Observatório COVID-19 Fiocruz: Informação para Ação. Fev 2021. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/sites/portal.fiocruz.br/files/documentos/covid19nasfavelas_ed3.pdf

PINCH, T. & BIJKER, W. The Social Construction of Facts and Artifacts: Or How the Sociology of Science and the Sociology of Technology Might Benefit Each Other. In: Pinch, T.; Hugues, T., & Bijker, W. The Social Construction of Social. Massachusetts: The MIT Press, 2012, p. 11-44.

SABROZA, Paulo. Concepções sobre saúde e doença. Curso de Aperfeiçoamento de Gestão em Saúde. Educação a distância. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública, 2007. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/ pdtsp/includes/header_pdf.php?id=141&ext=. pdf&titulo=Concep%E7%F5es%20sobre%20 Sa%FAde%20e%20Doen%E7a. Acesso em: 08 jan. 2021.

SES RJ. Parceria da SES com o Dados do Bem permitirá triplicar testagem de Covid-19. Publicado em 06 jul 2020. Disponível em: https://www.saude.rj.gov.br/noticias/2020/07/parceria-da-ses-com-o-dados-do-bem-permitira-triplicar-testagem-de-covid-19 Acesso em 29 set 2021

SILVA, Tarcízio. Linha do Tempo do Racismo Algorítmico. Blog do Tarcízio Silva, 2020. Disponível em: https://tarciziosilva.com.br/blog/posts/racismo-algoritmico-linha-do-tempo>. Acesso em: dia, mês e ano.

Downloads

Publicado

2021-10-25

Como Citar

Leandro, B. B. da S. (2021). Cidades inteligentes, desigualdades territoriais e saúde pública: reflexões necessárias. Asklepion: Informação Em Saúde, 1(2), 1–16. Recuperado de https://asklepionrevista.info/asklepion/article/view/25