Teoria do agir comunicativo de Habermas na administração de organizações de saúde

revisão sistemática nas bases de dados Medline, Scopus, Web of Science

Autores

  • Clóvis Ricardo Montenegro de Lima PPGCI IBICT/UFRJ
  • Mariangela Rebelo Maia Universidade Santa Úrsula

Palavras-chave:

Habermas. Teoria do Agir Comunicativo. Administração. Organizações de Saúde. Saúde.

Resumo

Neste artigo mostram-se os resultados de uma revisão sistemática com busca em três bases de dados sobre a teoria do agir comunicativo do filósofo alemão Jurgen Habermas na área da Administração de Organizações de Saúde. Quer-se destacar as relações estabelecidas entre a filosofia da linguagem, particularmente da Teoria do agir comunicativo, e a Administração de Organizações de Saúde, tanto para construção em acordos teóricos quanto acordos práticos. Foram consultadas três bases de dados (Scopus, Web of Science e Medline via Pubmed). A partir da aplicação das estratégias foram recuperados 178 registros. Após o filtro em função dos objetivos da pesquisa e da exclusão dos artigos em duplicatas, restaram 42 artigos, mas somente 41 artigos completos são considerados na síntese qualitativa. Os artigos recuperados estão classificados em oito categorias, e foram publicados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

GALVÃO, M. C. B.; RICARTE, I. L. M. Revisão sistemática da literatura: conceituação, produção e publicação. Logeion: Filosofia da Informação, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 57–73, 2019. Disponível em: https://revista.ibict.br/fiinf/article/view/4835. Acesso em: 8 out. 2022.

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

HABERMAS, J. Teoria de la accion comunicativa, tomo 1: Racionalidad de la acción y racionalización social. Madrid: Taurus, 1987. 517p.

HABERMAS, J. Teoria de la accion comunicativa, tomo 2: Critica de la razón funcionalista. Madrid: Taurus, 1987. 618p.

LIMA, C. R. M. Administração discursiva. Rio de Janeiro: Salute, 2019. 146 p.

LIMA, C. R. M. Saúde. Rio de Janeiro: Salute, 2019. 146 p.

MOHER, D.; COOK, D.; EASTWOOD, S.; OLKIN, I.; RENNIE, D.; STROUP, D. Improving the Quality of Reports of Meta-Analyses of Randomised Controlled Trials: The QUOROM Statement. Lance, London, v. 354, 1999.

PEARSON, A.; WIECHULA, R.; COURT, A.; LOCKWOOD, C. The JBI model of evidence-based healthcare. International journal of evidence-based healthcare, Australia, v. 3, n. 8, p. 207-15, 2005. DOI: 10.1111/j.1479-6988.2005.00026.x.

SANTOS, C. M. C.; PIMENTA, C. M.; NOBRE, M. R. C. The PICO strategy for the research question construction and evidence search. Revista Latino-Americana de Enfermagem, São Paulo, v. 15, n. 3, p. 508–511, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010411692007000300023&lng=en&tlng=e. Acesso em: 16 maio 2022.

Publicado

2022-11-18

Como Citar

LIMA, C. R. M. de; MAIA, M. R. Teoria do agir comunicativo de Habermas na administração de organizações de saúde: revisão sistemática nas bases de dados Medline, Scopus, Web of Science. Asklepion: Informação em Saúde, Rio de Janeiro, RJ, v. 2, p. 182–204, 2022. Disponível em: https://asklepionrevista.info/asklepion/article/view/65. Acesso em: 8 dez. 2022.