Incidência e fatores de risco associados à depressão pós-parto em um hospital universitário do Sul do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21728/asklepion.2023v2n2.p71-91

Palavras-chave:

Depressão, Período pós-parto, Transtornos puerperais, Fatores de risco, Incidência

Resumo

A Depressão Pós-Parto (DPP) é uma condição clínica sub diagnosticada no puerpério, porém com grande impacto na saúde pública. O artigo tem como objetivo identificar a incidência de DPP e os fatores de risco associados nas mulheres cujo parto foi realizado no Hospital Universitário de Florianópolis, e descrever seu perfil socioeconômico. Trata-se de um estudo de corte. Foram usados dois parâmetros, um socioeconômico, psicossocial e obstétrico, e a Escala de Depressão Pós-Natal de Edimburgo (EPDS) nas 48 horas pós-parto. O último foi replicado seis semanas após. Foi interpretado como provável DPP escore na EPDS ≥ 11. Foram utilizados os testes de Qui-quadrado para associação entre variáveis selecionadas como possíveis fatores de risco para DPP. A análise epidemiológica foi realizada a partir dos riscos absolutos e relativos. Resultados: 148 mulheres foram incluídas no estudo. A incidência de DPP nas 48 horas após o parto foi de 22,97%, e seis semanas após correspondeu a 31,5% da amostra.  Os fatores de risco encontrados em ambos os momentos foram: diagnóstico prévio de transtorno psiquiátrico; hiperêmese gravídica na última gestação e relação perturbada com o cônjuge. Os fatores de proteção comuns incluíram satisfação com o corpo e com a notícia da gravidez. O escore ≥ 11 na EPDS no pós-parto imediato foi associado como fator de risco para o desenvolvimento de DPP seis semanas após e para o risco de causar dano a si mesma. Conclui-se que a incidência elevada de DPP está relacionada com história pregressa e fatores sociais, demonstrando a importância da investigação precoce no período perinatal, para prevenção e tratamento adequado da mesma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION, DSMTF et al. Diagnostic and statistical manual of mental disorders: DSM-5. Washington, DC: American psychiatric association, 2013.

ARRAIS, Alessandra da Rocha; ARAUJO, Tereza Cristina Cavalcanti Ferreira de. Depressão pós-parto: uma revisão sobre fatores de risco e de proteção. Psicologia, Saúde e Doenças, v. 18, n. 3, p. 828-845, 2017. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/psd/v18n3/v18n3a16.pdf. Acesso em: 10 jul. 2023

BENER, Abdulbari. Psychological distress among postpartum mothers of preterm infants and associated factors: a neglected public health problem. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 35, n. 3, p. 231-236, set. 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1516-4446-2012-0821. Acesso em: 06 jul. 2023.

BOTEGA N. J.; SILVA J. L.P.; NOMURA, M.L. Gravidez e puerpério. In: BOTEGA, N. J. (Org.). Prática psiquiátrica no hospital geral: interconsulta e emergência. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017., p. 54-341.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE. DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS; BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE. DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS. Estudo da mortalidade de mulheres de 10 a 49 anos, com ênfase na mortalidade materna: relatório final. 2006.

BRUM, E. H. M. Depressão pós-parto: Divergências conceituais. SAÚDE MENTAL EM FOCO DO CESUCA-ISSN 2316-3674, v. 1, n. 1, 2012. Disponível em: http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/saudementalemfoco/article/view/17. Acesso em: 10 jul. 2023

BUIST, Anne E. et al. To screen or not to screen—that is the question in perinatal depression. Medical Journal of Australia, v. 177, p. S101-S105, 2002. Disponível em: https://doi.org/10.5694/j.1326-5377.2002.tb04866.x. Acesso em: 10 jul. 2023.

CAMACHO, Renata Sciorilli; CANTINELLI, Fábio Scaramboni; RIBEIRO, Carmen Sylvia; CANTILINO, Amaury; GONSALES, Bárbara Karina; BRAGUITTONI, Érika; RENNÓ JUNIOR, Joel. Transtornos psiquiátricos na gestação e no puerpério: classificação, diagnóstico e tratamento. Archives Of Clinical Psychiatry, São Paulo, v. 33, n. 2, p. 92-102, 2006. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/s0101-60832006000200009. Acesso em: 07 jul. 2023.

COX, John. Postnatal mental disorder: towards ICD-11. World Psychiatry, v. 3, n. 2, p. 96, 2004. Disponível em: http://europepmc.org/articles/PMC1414676. Acesso em: 06 jul. 2023.

CRUZ, Eliane Bezerra da Silva; SIMÕES, Gláucia Lucena; FAISAL-CURY, Alexandre. Rastreamento da depressão pós-parto em mulheres atendidas pelo Programa de Saúde da Família. Revista brasileira de ginecologia e obstetrícia, v. 27, p. 181-188, 2005. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032005000400004. Acesso em: 09 jul. 2023.

EVINS, Grace G.; THEOFRASTOUS, James P.; GALVIN, Shelley L.. Postpartum depression: a comparison of screening and routine clinical evaluation. American Journal Of Obstetrics And Gynecology, [S.L.], v. 182, n. 5, p. 1080-1082, maio 2000. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1067/mob.2000.105409. Acesso em: 07 jul. 2023.

FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA et al. Manual de Orientação Assistência ao Abortamento, Parto e Puerpério. 2010. 2018. Disponível em: http://professor.pucgoias.edu.br/SiteDocente/admin/arquivosUpload/13162/material.pdf. Acesso em: 09 jul. 2023

FERGERSON, Sarah Smallwood; JAMIESON, Denise J.; LINDSAY, Michael. Diagnosing postpartum depression: can we do better?. American Journal of Obstetrics and Gynecology, v. 186, n. 5, p. 899-902, 2002.

FIGUEIRA, Patrícia et al. Escala de Depressão Pós-natal de Edimburgo para triagem no sistema público de saúde. Revista de Saúde Pública, v. 43, p. 79-84, 2009 ( Suppl 1 ). Disponível em : http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102009000800012&lng=en. https://doi.org/10.1590/S0034-89102009000800012. Acesso em: 08 jul. 2023.

GONIDAKIS, F. Maternity blues. Psychiatrike= Psychiatriki, v. 18, n. 2, p. 132-142, 2007.

HARTMANN, Juliana Mano; MENDOZA-SASSI, Raul Andrés; CESAR, Juraci Almeida. Depressão entre puérperas: prevalência e fatores associados. Cadernos de saude publica, v. 33, p. e00094016, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311x00094016. Acesso em: 03 jul. 2023

HOFFMAN, M. Camille; WISNER, Katherine L. Psychiatry and obstetrics: an imperative for collaboration. American Journal of Psychiatry, v. 174, n. 3, p. 205-207, 2017.

HOLLIST, Cody S. et al. Depressão pós-parto e satisfação conjugal: impacto longitudinal em uma amostra brasileira. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 11, n. 38, p. 1-13, 2016. Disponível em: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/1044. Acesso em: 03 jul. 2023.

JOHNSON, Clark T. Maternal Deaths From Suicide and Overdose in Colorado, 2004–2012. Obstetrics & Gynecology, v. 129, n. 5, p. 946, 2017.. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27824771. Acesso em: 03 jul. 2023.

LIU, Shiping et al. Risk factors for postpartum depression among Chinese women: path model analysis. BMC pregnancy and childbirth, v. 17, n. 1, p. 1-7, 2017. Disponível em: https://bmcpregnancychildbirth.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/s12884-017-1320-x. Acesso em: 03 jul. 2023.

LOBATO, Gustavo; MORAES, Claudia L.; REICHENHEIM, Michael E. Magnitude da depressão pós-parto no Brasil: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 11, p. 369-379, 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292011000400003. Acesso em: 04 jul. 2023.

MENEZES, Francislene Lopes et al. Frequência da depressão puerperal na maternidade de um hospital universitário da Região Sul. Enfermeria global, v. 11, n. 3, 2012. Disponível em: http://scielo.isciii.es/pdf/eg/v11n27/pt_enfermeria2.pdf. Acesso em: 04 jul. 2023.

MORAES, Inácia Gomes da Silva et al. Prevalência da depressão pós-parto e fatores associados. Revista de saúde pública, v. 40, n. 1, p. 65-70, 2006.

MOREIRA, Maurício Tavares. Depressão pós-parto: revisão da literatura brasileira. Biblioteca Digital de Monografias, Campus do Bacangá. Trabalho de Conclusão de Curso de graduação em Medicina do Campus do Bacangá da Universidade Federal do Maranhão. Outubro de 2018. Disponível em: https://rosario.ufma.br/jspui/handle/123456789/3199?mode=full. Acesso em: 11 fev. 2020

MOURA, Elaine Cristina Carvalho; FERNANDES, Marcia Astrês; APOLINÁRIO, Flayda Isabela Rodrigues. Percepção materna sobre transtornos psiquiátricos no puerpério: implicações na relação mãe-filho. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 64, n. 3, p. 445-450, jun. 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/s0034-71672011000300006. Acesso em: 07 jul. 2023.

NORHAYATI, M. N. et al. Magnitude and risk factors for postpartum symptoms: a literature review. Journal of affective Disorders, v. 175, p. 34-52, 2015. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25590764. Acesso em: 07 jul. 2023.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Classificação de transtornos mentais e de comportamento da CID-10: Descrições clínicas e diretrizes. Porto Alegre: Artes médicas; 1993.

OMS. Organização Mundial de Saúde, 2017. Mental Health Atlas. Geneva: WHO, Disponível em https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/272735/9789241514019-eng.pdf?ua=1. Acesso em: 08 jul. 2023.

PALUMBO, G.; MIRABELLA, F.; GIGANTESCO, A. Positive screening and risk factors for postpartum depression. European Psychiatry, v. 42, p. 77-85, 2017. Disponível em: http://old.iss.it/binary/mentale/cont/European_Psychiatry_Positive_screening.pdf. Acesso em: 08 jul. 2023.

PEREIRA, Priscila Krauss; LOVISI, Giovanni Marcos. Prevalência da depressão gestacional e fatores associados. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo), v. 35, p. 144-153, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpc/v35n4/04.pdf/. Acesso em: 08 jul. 2023.

RAHMAN, Atif; PATEL, Vikram; MASELKO, Joanna; KIRKWOOD, Betty. The neglected ‘m’ in MCH programmes - why mental health of mothers is important for child nutrition. Tropical Medicine & International Health, v. 13, n. 4, p. 579-583, 3 mar. 2008. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1111/j.1365-3156.2008.02036.x. Acesso em: 07 jul. 2023.

RIGHETTI-VELTEMA, Marion et al. Postpartum depression and mother–infant relationship at 3 months old. Journal of affective disorders, v. 70, n. 3, p. 291-306, 2002.

RUSCHI, Gustavo Enrico Cabral; SUN, Sue Yazaki; MATTAR, Rosiane; CHAMBÔ FILHO, Antônio; ZANDONADE, Eliana; LIMA, Valmir José de. Aspectos epidemiológicos da depressão pós-parto em amostra brasileira. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, v. 29, n. 3, p. 274-280, dez. 2007. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/s0101-81082007000300006. Acesso em: 07 jul. 2023.

RYAN, Deirdre; MILIS, Lisa; MISRI, Nicholas. Depression during pregnancy. Canadian Family Physician, v. 51, n. 8, p. 1087-1093, 2005.

SANTOS, Iná S. et al. Validation of the Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS) in a sample of mothers from the 2004 Pelotas Birth Cohort Study. Cadernos de saude publica, v. 23, p. 2577-2588, 2007.

SCHMIDT, Eluisa Bordin; PICCOLOTO, Neri Maurício; MÜLLER, Marisa Campio. Depressão pós-parto: fatores de risco e repercussões no desenvolvimento infantil. Psico-Usf, v. 10, p. 61-68, 2005. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psicousf/v10n1/v10n1a08.pdf. Acesso em: 07 jul. 2023.

SCREENING for perinatal depression. Replaces Committee Opinion Number 453. 2010. Disponívelem: https://www.bing.com. Acesso em jul. 2018

SEGRE, Lisa S.; DAVIS, Wendy N. Postpartum depression and perinatal mood disorders in the DSM. Postpartum Support International, v. 3, p. 1-6, 2013.

SHAKEEL, Nilam et al. Physical activity in pregnancy and postpartum depressive symptoms in a multiethnic cohort. Journal of affective disorders, v. 236, p. 93-100, 2018.

SOUZA, Ildebrando Moraes de; MACHADO-DE-SOUSA, João Paulo. Brazil: world leader in anxiety and depression rates. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 39, n. 4, p. 384-384, dez. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1516-4446-2017-2300. Acesso em: 07 jul. 2023.

STEWART, Donna E. et al. Postpartum depression: Literature review of risk factors and interventions. Toronto: University Health Network Women’s Health Program for Toronto Public Health, 2003.

SURKAN, Pamela J. et al. Maternal depression and early childhood growth in developing countries: systematic review and meta-analysis. Bulletin of the World Health Organization, v. 89, n. 8, p. 607-615, 2011. Disponível em: http://www.who.int/bulletin/volumes/89/8/11-088187/en/. Acesso em: 07 jul. 2023.

WHO. WORLD HEALTH ORGANIZATION et al. Depression and other common mental disorders: global health estimates. World Health Organization, 2017. Disponível em: Disponível em: www.who.int/mental_health/management/depression/prevalence_global_health_estimates/en. Acesso em: 01 abr. 2017.

YOUN, Hyunchul; LEE, Suji; HAN, Sung Won; KIM, Log Young; LEE, Tae-Seon; OH, Min-Jeong; JEONG, Hyun-Ghang; CHO, Geum Joon. Obstetric risk factors for depression during the postpartum period in South Korea: a nationwide study. Journal Of Psychosomatic Research, v. 102, p. 15-20, nov. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.jpsychores.2017.09.003. Acesso em: 06 jul. 2023.

Downloads

Publicado

11-07-2023 — Atualizado em 11-07-2023

Como Citar

MACHADO, J. P.; BOTELHO, L. J.; ARCE ISKENDERIAN, H. A.; MARTINS DA SILVA, A. Incidência e fatores de risco associados à depressão pós-parto em um hospital universitário do Sul do Brasil. Asklepion: Informação em Saúde, Rio de Janeiro, RJ, v. 2, n. 2, p. 71–91, 2023. DOI: 10.21728/asklepion.2023v2n2.p71-91. Disponível em: https://asklepionrevista.info/asklepion/article/view/80. Acesso em: 2 mar. 2024.