Promoção de saúde nas bibliotecas escolares

uma possibilidade

Autores

  • Daniela Capri Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) https://orcid.org/0000-0001-5968-6818
  • Eliana Maria dos Santos Bahia Jacintho Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.21728/asklepion.2024v3n1e-88

Palavras-chave:

biblioteca escolar, promoção de saúde, informação em saúde, Ciência da Informação

Resumo

O trabalho discute o potencial de atuação das bibliotecas escolares como promotoras de saúde em suas comunidades. Parte-se do princípio de que saúde e educação são direitos fundamentais e as bibliotecas espaços democráticos de disseminação da informação e conhecimento além de ambientes que buscam promover a cidadania. Apresenta-se a evolução do conceito de saúde, o surgimento da promoção de saúde e o histórico da ligação entre saúde e educação no Brasil. Reflete-se sobre o papel social da biblioteca, o potencial de atuação da biblioteca escolar na promoção de saúde e qualidade de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Capri, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutoranda em Ciência da Informação (UFSC). Mestra em Ciência da Informação (UFSC). Graduada em Biblioteconomia (UFSC).

Eliana Maria dos Santos Bahia Jacintho, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutora pela Universidad Carlos III de Madrid- Espanha (Revalido/reconhecido no Brasil ao título de Doutora em Ciência da Informação pela UFSC). Mestrado em História do Brasil Meridional pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduação em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade do Estado de Santa Catarina- UDESC (1980). Professora da Universidade Federal Santa Catarina (CED/PGCIN-UFSC).

Referências

BRASIL, Eysler Gonçalves Maia et al. Promoção da saúde do adolescente e Programa Saúde na Escola: complexidade na articulação saúde e educação. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 51, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/s1980-220x2016039303276. Acesso em: 20 jul. 2021.

BRASIL. Decreto n. 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola - PSE, e dá outras providências. Brasília, 5 de dezembro de 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6286.htm. Acesso em: 10 jun. 2021.

BRASIL. Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS): Anexo I da Portaria de Consolidação nº 2, de 28 de setembro de 2017, que consolida as normas sobre as políticas nacionais de saúde do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude.pdf. Acesso em: 12 out. 2021.

BUSS, Paulo M. O conceito de promoção da saúde e os determinantes sociais. Fiocruz, 2010. Disponível em: https://agencia.fiocruz.br/o-conceito-de-promo%C3%A7%C3%A3o-da-sa%C3%BAde-e-os-determinantes-sociais. Acesso em: 10 jul. 2021.

CERLALC. Por las bibliotecas escolares de Iberoamérica. Bogotá: Cerlalc, 2007. Disponível em: https://cerlalc.org/wp-content/uploads/2018/09/PUBLICACIONES_OLB_Por-las-bibliotecas-escolares-de-Iberoamerica_V1_011207.pdf. Acesso em: 10 out. 2021.

CRUZ, Danielle Keylla Alencar et al. Implementando o Programa de Saúde na Escola – PSE.UFRN, [2020].

EDUCATION COUNCIL. Student wellbeing framework. 2018. Disponível em: https://studentwellbeinghub.edu.au/media/9310/aswf_booklet.pdf. Acesso em: 19 out. 2021.

GARCEZ, Eliane Fioravante et al. Um projeto de rede de bibliotecas para as escolas públicas estaduais de Santa Catarina, Brasil: relatos de experiência(s). Perspectivas em Ciência da Informação, v.21, n.2, p.237-262, abr./jun. 2016. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/2468. Acesso em: 10 out. 2021.

GOMES, Jacqueline Ramos de Andrade Antunes. Educação em saúde nas bibliotecas públicas do Distrito Federal: uma nova interlocução para qualidade de vida, promoção da saúde e epidemiologia. 2015. 263 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) – Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, Universidade de Brasília. Brasília, 2015.

HARPER, Meghan. Helping students who hurt: care based policies and pratices for the school library. School Libraries Worldwide, v. 23, n. 1, jan. 2017.

IFLA. Diretrizes da IFLA para a biblioteca escolar. 2. ed. rev. IFLA, 2015. Disponível em: https://www.ifla.org/wp-content/uploads/2019/05/assets/school-libraries-resource-centers/publications/ifla-school-library-guidelines-pt.pdf. Acesso em: 10 out. 2021.

IFLA. Manifesto IFLA/UNESCO para biblioteca escolar. São Paulo: IFLA, 1999. Disponível em: https://www.ifla.org/files/assets/school-libraries-resource-centers/publications/school-library-manifesto-pt-brazil.pdf. Acesso em: 10 jun. 2021.

KNEVITZ, Marcos Fernando; BÉRIA, Jorge Umberto; SHERMANN, Lígia Braun. Educação preventiva ao abuso de drogas em escolas públicas num município do sul do Brasil. Holos; Natal, v. 34, ed. 3, p. 240-251, 2018. Disponível em: https://doi.org.10.15628/holos.2018.4896. Acesso em: 10 jun. 2021.

LANKES, David. Bibliotecários construindo o novo normal. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 17, p. 1-19, 2021.

LAURELL, Asa Cristina. A saúde-doença como processo social. Traduzido por E. D. Nunes. Revista Latinoamericana de Salud, México, v. 2, p. 7-25, 1982. Disponível em: https://unasus2.moodle.ufsc.br/pluginfile.php/6126/mod_resource/content/1/Conteudo_on line_2403/un01/pdf/Artigo_A_SAUDE-DOENCA.pdf. Acesso em: 20 out. 2023.

MACIEL, Marjorie Ester Dias. Educação em saúde: conceitos e propósitos. Cogitare Enfermagem, [S.l.], v. 14, n. 4. P. 773-776, Out/Dez, 2009. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/viewFile/16399/10878. Acesso em: 10 jun. 2021.

MERGA, Margaret. How Can School Libraries Support Student Wellbeing? Evidence and Implications for Further Research. Journal of Library Administration, [S.l.], v. 60, n. 6, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1080/01930826.2020.1773718. Acesso em: 10 out. 2021.

ONU. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Objetivos de desenvolvimento sustentável. Nova York, 2015.

ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS. Modelo flexível para sistema nacional de bibliotecas escolares. Brasília: Comissão brasileira de Bibliotecas Públicas e Escolares; FEBAB, 1985.

PAES, Caila Carolina Duarte Campos; PAIXÃO, Alvaneide Nunes dos Passos. A importância da abordagem da educação em saúde: revisão de literatura. Revista de educação da Universidade Federal do Vale do São Francisco, Vale do Sáo Francisco, v. 6, n. 11, 2016. Disponível em: https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/38. Acesso em: 10 jun. 2021.

PEREIRA, Myriam Dantas et al. Ações intersetoriais entre saúde e educação: apontamentos sobre o Programa Saúde na Escola. Physis, [s. l.], v. 31, n. 2, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-73312021310224. Acesso em: 20 jul. 2021.

PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE. Carta de Ottawa. Ottawa, 1986. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/carta_ottawa.pdf. Acesso em: 10 jul. 2021.

SANTOS, Eliane Oliveira dos et al. Abordagem sobre a prevenção de drogas no contexto escolar. Revista Científica Internacional, v. 4, n. 17, p. 18-40, 2011.

SILVA, Cristiane Maria da Costa. Educação em Saúde: uma reflexão histórica de suas práticas. Ciência & Saúde Coletiva, [S.l.], dez., 2007. Disponível em: http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/educacao-em-saude-uma-reflexaohistorica-de-suas-praticas/1532?id=1532&id=1532. Acesso em: 28 jun. 2021.

SILVA, José Fernando Modesto da; SIQUEIRA, Ivan. Biblioteca escolar como uma questão de direitos humanos. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 1, p. 38-50, 2014.

WHO. Constitution of the World Health Organization. New York, 19 June 1946. Disponível em: https://apps.who.int/gb/bd/PDF/bd47/EN/constitution-en.pdf?ua=1. Acesso em: 20 set. 2021.

Downloads

Publicado

19-02-2024

Como Citar

CAPRI, D.; JACINTHO, E. M. dos S. B. Promoção de saúde nas bibliotecas escolares: uma possibilidade. Asklepion: Informação em Saúde, Rio de Janeiro, RJ, v. 3, n. 1, p. e–88, 2024. DOI: 10.21728/asklepion.2024v3n1e-88. Disponível em: https://asklepionrevista.info/asklepion/article/view/88. Acesso em: 22 maio. 2024.