Gerenciamento de dados de proveniência em telemedicina e telessaúde

possíveis abordagens e perspectivas à luz da Ciência da Informação em Saúde no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21728/asklepion.2024v3n1e-89

Palavras-chave:

gerenciamento de dados de proveniência, telemedicina e telessaúde, ciência da informação em saúde, informação em saúde

Resumo

A Ciência da Informação pode contribuir de várias maneiras para o gerenciamento dos dados de proveniência em Sistemas de Informação em Saúde no Brasil. Este artigo trata sobre um método de gerenciamento de dados de proveniência experimentado em estudo de caso em um sistema de Telemedicina e Telessaúde brasileiro, fruto da defesa de tese de doutorado realizada em 2023 no Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina. O objetivo geral delineado consiste em apresentar uma breve discussão de parte dos principais resultados encontrados no estudo de caso da tese, proporcionando o mapeamento das possíveis abordagens e perspectivas em relação aos processos de gerenciamento de dados de proveniência à luz da Ciência da Informação em Saúde. Como metodologia foi utilizada a pesquisa bibliográfica. Nas considerações finais foi possível afirmar que unir conhecimentos da Ciência da Informação em Saúde com as demandas específicas dos sistemas de Telemedicina e Telessaúde pode contribuir para a qualidade, segurança e eficácia na gestão das informações de saúde no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio José Sembay, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutorado em Ciência Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2023). Mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2009); Especialização em Desenvolvimento e Criação de Negócios na Internet (2005) e Graduação em Ciência da Computação (2004), ambos pelo Centro Universitário UNIFACVEST; Licenciatura plena em Ciência da Computação em Programa Especial de Formação Pedagógica em Computação pelo Centro Universitário Claretiano - CEUCLAR de Batatais - SP polo Curitiba - PR (2015). Atualmente é Coordenador do Curso de Ciência da Computação e coordenador do Núcleo Estruturante Docente de Ciência da Computação (NDE CC) do Centro Universitário UNIFACVEST. Tem experiência na área de Ciência da Computação, Ciência da Informação, Educação a Distância e tutoria em cursos a distância. Em estudo nas áreas de Proveniência de Dados e Sistemas de Informação em Saúde em cenários de Telemedicina.

Douglas Dyllon Jeronimo de Macedo, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professor Adjunto do Departamento de Ciência da Informação (CIN) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Possui doutorado em Engenharia de Conhecimento pela UFSC. Durante o período do doutorado, esteve atuando como pesquisador visitante na Western University (UWO), em London (ON), no Canadá. Atua como pesquisador associado do Instituto Nacional de Convergência Digital (INCoD), atuando no Laboratório de Telemedicina (LabTelemed). Membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC/UFSC) e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PGCIN/UFSC), onde atua como pesquisador e orientador de alunos de mestrado e doutorado. É coordenador do Laboratório de Engenharia e Ciência de Dados (LECID/UFSC), onde com seu grupo, desenvolve pesquisas e projetos em vertentes científicas e tecnológicas. O Prof. Douglas tem experiência na área de projetos, atuando como coordenador, colaborador e avaliador de projetos financiados, por agências de fomento nacionais e internacionais ou pela iniciativa privada. Ainda, atua como revisor de periódicos e faz parte de comitês de programa de conferências, em âmbito nacional e internacional. No passado, atuou como Professor Adjunto do Departamento de Computação (DCOMP) da Universidade Federal de Sergipe (UFS), onde também desempenhou papel de Coordenador do Núcleo de Desenvolvimento de Telemedicina e Telessaúde da UFSC. Ainda no passado, foi professor efetivo do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), onde atuou no Campus Garopaba. Prof. Douglas tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Redes de Computadores, Bancos de Dados Não-Convencionais, Sistemas Distribuídos e Informática Médica. Especificamente, atua nas seguintes temáticas: Armazenamento de Dados, Ambientes Distribuídos (Cluster, Grid, Cloud, Fog, Edge e Dew), Internet das Coisas (IoT), Engenharia de Dados e Computação Aplicada à Saúde.

Alexandre Augusto Gimenes Marquez Filho, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Possui graduação em Tecnologia em Sistemas de Telecomunicações pelo Instituto Federal de Santa Catarina (2011) e mestrado em Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PGCIN) pela Universidade Federal de Santa Catarina (2019). Atualmente é analista de infraestrutura da Fundação do Ensino da Engenharia em Santa Catarina e colaborador no Sistema Integrado Catarinense de Telemedicina e Telessaúde (STT/RCTM).

Referências

BUNEMAN, P.; KHANNA, S. E.; CHIEW, W. Why and where: a characterization of data provenance. In: VAN DEN BUSSCHE, J., VIANU, V. (ed.). Database theory: ICDT 2001. Lecture Notes in Computer Science, v. 1973. Berlin, Heidelberg: Springer, 2001. Disponível em: https://pdfs.semanTICcholar.org/b647/2ee11749ef70713bfb0e322a9ec27523ed88.pdf. Acesso em: 02 maio 2019.

BRASIL. Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018. Dispõe sobre a proteção de dados pessoais e altera a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014 (Marco Civil da Internet). Brasília, DF: Presidência da República; 2018. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/L13709.htm. Acesso em: 29 jan. 2019.

CYCLOPS GROUP. 2022. Disponível em: http://www.cyclops.ufsc.br. Acesso em: 29 nov. 2022.

DAVIDSON, S. B.; FREIRE, J. Provenance and scientific workflows: challenges and opportunities. In: ACM SIGMOD INTERNATIONAL CONFERENCE ON MANAGEMENT OF DATA, p. 1345–1350, 2008. Proceedings […]. Disponível em: https://vgc.poly.edu/~juliana/pub/freire-tutorial-sigmod2008.pdf. Acesso em: 02 jun. 2018.

FREIRE, J. et al. Provenance for computational tasks: a survey. Journal Computing in Science and Engineering, v. 10, n. 3, p. 11–21, 2008. ISSN 15219615. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.147.3801&rep=rep1&type=pdf. Acesso em: 24 out. 2023.

FREUND, G. P.; SEMBAY, M. J.; MACEDO, D. D. J. de. Proveniência de dados e segurança da informação: relações interdisciplinares no domínio da ciência da informação. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 12, n. 3, p. 807–825, 14 set. 2019. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/RICI/article/view/21203/23548. Acesso em: 20 maio 2022.

HARDIN, T.; KOTZ, D. Amanuensis: Information provenance for health-data systems. Information Processing & Management, v. 58, n. 2, p. 102460, 2021.

HAUX, R. Health information systems-past, present, future. International Journal of Medical InformaTIC, v. 75, p. 268–281, 2006.

MACEDO, D. D. J. de. Um modelo distribuído de armazenamento hierárquico de conhecimento médico. 2014. 214 f. Tese (Doutorado) − Curso de Programa de Pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Departamento de Engenharia do Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/123290/326446.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 10 nov. 2023.

MAIA, R.; WANGENHEIM, A. V.; NOBRE, L. A statewide telemedicine network for public health in Brazil. In: IEEE INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON COMPUTER-BASED MEDICAL SYSTEMS, CBMS 2006, 19., [S. l.: s. n.], 2006. p. 495–500.

MALLET, R. B. Teledermatology in practice. Clin Exp Dermatol, v. 28, n. 4, p. 356–359, jul. 2003. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12823290. Acesso em: 21 nov. 2019.

MESSIAS, J. R.; PACHECO , G. G.; FARIA , B. O.; CARVALHO, G. G.; GONTIJO , M. S.; FERREIRA , C. M.; ALMEIDA , M. C. de; BACHUR , C. K. TELEMEDICINA DURANTE A PANDEMIA DO COVID-19. Brazilian Journal of Implantology and Health Sciences, v. 5, n. 4, p. 2409–2420, 2023. Disponível em: https://bjihs.emnuvens.com.br/bjihs/article/view/557. Acesso em: 19 fev. 2024.

MICHALA, A. L.; ATTAR, H.; VOURGANAS, I. Secure data transfer and provenance for distributed healthcare. In: Intelligent Healthcare. Singapore: Springer, 2022. p. 241–260. DOI 10.1007/978-981-16-8150-9_11

NEVES, B. C.; BRAZ, M. I. Interlocução entre saúde e Ciência da Informação: proposta para o diagrama multidisciplinar da CI. Informação & Informação, v. 23, n. 3, p. 100–121, 2018.

RIBEIRO, F. Medicina e Ciência da Informação: uma abordagem integradora e interdisciplinar. In: DUARTE, Z.; FARIAS, L. A medicina na era da informação. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 111–125.

SEMBAY, M. J.; MACEDO, D. D. J. de; DUTRA, M. L. A Method for collecting provenance data: a case study in a Brazilian hemotherapy center. In: Lecture Notes of the Institute for Computer Sciences, Social InformaTIC and Telecommunications Engineering. 1. ed. Springer International Publishing, 2020a. v. 1. p. 89-102. DOI 10.1007/978-3-030-50072-6_8.

SEMBAY, M. J; MACEDO, D. D. J. de; DUTRA, M. L. A proposed approach for provenance data gathering. Mobile Networks & Applications, p. 1–13, 2020b. DOI 10.1007/s11036-020-01648-7

SEMBAY, M. J.; MACEDO, D. D. J. de. Sistemas de informação em saúde: proposta de um método de gerenciamento de dados de proveniência no instanciamento do modelo W3C PROV-DM. Advanced Notes in Information Science, Tallinn, Estonia, ColNes Publishing, v. 2, p. 192–201, 2022. DOI https://doi.org/10.47909/anis.978-9916-9760-3-6.101.

SEMBAY, M. J., MACEDO, D. D. J. de; MARQUEZ FILHO, A. A. Identification of the relationships between Data Provenance and Blockchain as a contributing factor for Health Information Systems. In: Lecture Notes of the Institute for Computer Sciences, Social InformaTIC and Telecommunications Engineering. 1. ed. [S. l.]: Springer International Publishing, 2022a.

SEMBAY, M. J.; MACEDO, D. D. J. de; MARQUEZ FILHO, A. A. G. Proveniência de dados em Sistemas de Informação em Saúde. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 22., Porto Alegre, RS. Anais [...]. Porto Alegre, RS: ANCIB, 2022b. p. 1-11. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/200577. Acesso em: 29 mar. 2023.

SEMBAY, M. J.; MACEDO, D. D. J.; MARQUEZ FILHO, A. A. G. HL7 FHIR baseado em W3C PROV para alcançar a proveniência de dados em sistemas de informação em saúde. Workshop de informação, dados e tecnologia (WIDAT 2022), 2022, Vitória, ES. Anais […]. Vitória, ES: PPGCI/UFES, 2022c. 247p.

SEMBAY, M. J. PROV-Health: método para gerenciamento de dados de proveniência em sistemas de informação em saúde. 2023. 311p. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Florianópolis, 2023. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/251582. Acesso em: 10 nov. 2023.

SEMBAY, M. J. et al. Provenance Data Management in Health Information Systems: a systematic literature review. Journal of Personalized Medicine, v. 13, n. 6, p. 991, 2023a.

SEMBAY, M. J; MACEDO, D. D. J. de; MARQUEZ FILHO, A. A. G. Dados de Proveniência Gerenciáveis em Sistemas de Informação em Saúde. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v. 16, 2023b.

SIMMHAN, Y. L.; PLALE, B.; GANNON, D. A survey of data provenance techniques. Technical Report TR-618: Computer Science Department; Indiana University, 2005. Disponível em: http://ftp.extreme.indiana.edu/pub/techreports/TR618.pdf. Acesso em: 24 maio 2018.

TAN, W. C. Provenance in databases: past, current and future. IEEE Data Eng. Bull, v. 30, n. 4, p. 3–12, 2007. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.89.3653&rep=rep1&type=pdf. Acesso em: 24 maio 2018.

TELEMEDICINA – SANTA CATARINA. STT/SC/SC - Sistema Integrado Catarinense de Telemedicina e Telessaúde. Início Telemedicina. 2021. Disponível em: http://site.Telemedicina.ufsc.br/. Acesso em: 22 out. 2021.

WALLAUER, J. et al. Building a national telemedicine network. IT Professional, v. 10, n. 2, p. 12-17, Mar./Apr. 2008. ISSN 1520-9202.

WHO-GLOBAL OBSERVATORY FOR eHEALTH. (2010). Telemedicine: Opportunities and developments in Member States. Observatory, v. 2, p. 96. DOI 10.4258/hir.2012.18.2.153. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3402558/. Acesso em: 21 nov. 2023.

WANGENHEIM, A. V. et al. Ways to implement large scale telemedicine: the Santa Catarina experience. Latin-American Journal of Telehealth, v. 3, p. 364–376, 2009.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Developing Health Management Information Systems: a practical for developing countries. Manila: Regional Office for the Western Pacific, 2004. Disponível em: https://iris.wpro.who.int/handle/10665.1/5498. Acesso em: 20 nov. 2019.

Downloads

Publicado

19-02-2024

Como Citar

SEMBAY, M. J.; DYLLON JERONIMO DE MACEDO, D.; GIMENES MARQUEZ FILHO, A. A. Gerenciamento de dados de proveniência em telemedicina e telessaúde: possíveis abordagens e perspectivas à luz da Ciência da Informação em Saúde no Brasil. Asklepion: Informação em Saúde, Rio de Janeiro, RJ, v. 3, n. 1, p. e–89, 2024. DOI: 10.21728/asklepion.2024v3n1e-89. Disponível em: https://asklepionrevista.info/asklepion/article/view/89. Acesso em: 22 maio. 2024.